“From birth to the adult age – a WBL successful Practice!” -Do namoro ao casamento!

“From birth to the adult age – a WBL successful Practice!
“Do Namoro ao Casamento – uma prática de formação em contexto de trabalho com sucesso!”

Ocorreu no dia 5 de fevereiro, pelas 11h00, uma conferência de imprensa no Salão Nobre da Câmara Municipal de Sever do Vouga, sobre o projeto “From birth to the adult age – a WBL successful Practice!”, ou seja, “Do Namoro ao Casamento – uma prática de formação em contexto de trabalho com sucesso!”
No âmbito do programa Erasmus+, ação chave 2, Parcerias Estratégicas para o Ensino e Formação Profissional, foi aprovado um projeto, coordenado pela AEVA, em parceria com a Câmara Municipal de Sever do Vouga, A. Silva Matos Metalomecânica SA, Instituto Politécnico do Porto (Portugal), e duas outras escolas profissionais, duas autoridades locais e duas empresas em Espanha e Itália, de valor na ordem dos 300.000 euros. Este projeto, subordinado ao tema de desenvolvimento do currículo por competências é apoiado em resultados e aprendizagens realizados em empresas, nas áreas da metalurgia, mecânica, mecatrónica e manutenção industrial.
Pretende-se com este projeto colmatar a distância entre a formação profissional e as necessidades reais das empresas e, simultaneamente, validar os resultados de aprendizagem e os currículos desenvolvidos numa plataforma digital, de forma a facilitar a transparência e a certificação da formação realizada. O Instituto Politécnico do Porto (IPP) terá aqui uma função primordial, nomeadamente no desenvolvimento da plataforma.
Segundo Jorge Castro, diretor da AEVA, a escola de hoje tem de ser diferente, tem de conferir a oportunidade de aprender de modo diferente, dentro da empresa. A capacidade instalada na A. Silva Matos Metalomecânica, parceira, tem de ser vertida para a formação dos jovens, através dos seus “mestres”. Estes devem preparar os aprendizes numa determinada cultura de trabalho e de pertença à empresa, sendo que o projeto prevê também a sua formação. “Os jovens de hoje, são jovens de hoje!”. É preciso motivá-los e fazer com que voltem a acreditar e a fugir para a escola!”, acrescenta.
Por outro lado, é preciso combater o divórcio entre entidades, empresas e escolas. “Eles sabem umas coisas, mas quando vêm para a empresa é preciso ensinar-lhes o que eles não aprenderam na escola”, reproduz Jorge Castro do que vai ouvindo pelas empresas. As escolas queixam-se da falta de abertura das empresas para aceitarem alunos em estágio, por criarem obstáculos. Jorge Castro adianta ainda que é propósito deste projeto desenhar um perfil de competências técnicas, profissionais, cientificas e socioculturais, capaz e com sentido, que responda positivamente às necessidades da região, do país e da europa, promovendo o casamento dos envolvidos.
Já Cláudia Pinheiro, presidente da administração da empresa A. Silva Matos Metalomecânica, refere que este é um exemplo concreto de uma estratégia de futuro ao nível da formação de técnicos qualificados, cujo défice existe em Portugal há já vários anos. Mais acrescentou que, em Portugal, não há capacidade de resposta. Na sua opinião, “esta é a primeira pedra de muitos outros projetos que virão para colmatar este grave problema, que existe, e com que as empresas se debatem diariamente com bastante dificuldade para resolver.”
Ambiciona-se, igualmente, o envolvimento de várias empresas das 3 regiões implicadas, em Portugal, Espanha e Itália, das áreas identificadas, neste processo de formação, promovendo a capacitação de todos os atores, i.e. dos alunos, professores, formadores e tutores profissionais.
As autoridades locais envolvidas têm o papel fundamental de não só promover o desenvolvimento regional, através do envolvimento das várias empresas no projeto, mas também servirão de interlocutores com o Ministério de Educação, com o objetivo de verem os novos currículos adotados a nível nacional. Com os resultados deste projeto pretende-se influenciar as autoridades nacionais, nomeadamente a ANQEP – Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, que é a agência que tutela os cursos profissionais, bem como o IEFP, enquanto entidade que chancela os Cursos de Aprendizagem. Os cursos existentes, nomeadamente os que configuram o Catálogo Nacional de Qualificações têm de ser melhorados, afirma Jorge Castro, sobretudo ao nível das metodologias de aprendizagem.
Os alunos, grupo alvo deste projeto, terão a oportunidade de realizar estágios a nível nacional e internacional, nas várias empresas selecionadas, testando os novos currículos e, simultaneamente, pondo em prática outras competências transversais, como a comunicação em língua estrangeira, o trabalho em equipa, a iniciativa, a solução de problemas, o cumprimento de prazos, entre muitas outras.
Nos próximos dias 6 e 7 de fevereiro, na sede da AEVA, em Aveiro, dar-se-á início à primeira reunião de trabalho, “Kick off meeting” na presença de todos os parceiros envolvidos, oriundos de Portugal, Espanha e Itália. Serão dois dias de trabalho intensivo, onde os primeiros esboços serão delineados.